sexta-feira, 15 de maio de 2020

PROVADO PELO FOGO


Um dos fios que alinhavam a carta de Pedro é a questão: Se Deus é bom e fiel e somos seus filhos amados, por que sofremos?
Para solucionar a essa questão, o texto propõe algumas respostas.  A primeira delas está logo no verso sete do primeiro capítulo:

... a fim de que a genuína comprovação de sua fé [seja] mais honrada e valiosa que o ouro perecível, depois de refinado pelo fogo, [e assim] apareça para o louvor, honra e glória na revelação de Jesus Cristo.

Esse primeiro argumento apostólico diz que o nosso sofrimento se assemelha ao ouro em seu processo de refino.  A comparação é interessante.  Partindo dela, vamos explorar um pouco sua compreensão.
Segundo a ciência, todo ouro existente foi produzido a partir da colisão de estrelas de nêutrons, que, por definição, têm pressão e temperatura cerca de 10 a 20 maior que o nosso sol.
Em nosso planeta, o ouro pode ser encontrado em vários lugares, mas em geral está ligado a outros minerais.  Após a sua mineração, é necessário haver um procedimento de refino para o separar das impurezas.  Mas o refino tem um preço.  O ouro precisa ser aquecido a mais de 1000 °C para que o ouro seja extraído das pepitas encontradas nas jazidas e minas.
A título de comparação, para curiosidade, um forno comum, desses que temos em nossas cozinhas, chega a apenas 250 °C e o óleo na frigideira ferve a não mais que 400 °C.
Após ser submetido a essa provação, o nobre metal pode expor sua beleza singular, sua química única e sua serventia na confecção de joias.
Voltemos ao texto bíblico e suas lições.
As nossas provações e sofrimentos, dores e chagas, angústias e aperreios não significam que o nosso Deus de amor nos abandonou ou esqueceu.  Isso nunca acontece e Pedro tem convicção disso.
Também não significam que Deus está nos punindo ou se vingando por nossas birras.  E nem os infortúnios se impõem como uma cobrança ou pagamento por pecados ou blasfêmias.  Uma atitude assim não condiz com o caráter divino.
Pelo contrário, nosso Deus, como um pai cheio de amor e graça, usa cada uma dessas terríveis circunstâncias para, a partir deles, extrair o que há de melhor em nós.  Será nas provações que o Senhor fará comprovar e aparecer a nossa alma dourada.
Assim Deus, como um ourives bondoso e fiel, nos forja e purifica na fornalha da vida para por fim nos recolher no cadinho de seu louvor, glória e honra.

(Na imagem lá em cima: Cristais de ouro.  Fonte: wikipedia.org)

2 comentários:

  1. Que texto top! Falou a verdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom.
      A glória seja a Deus que nos prova e nos aprova pela sua graça.
      Abr.

      Excluir