sexta-feira, 18 de novembro de 2016

CULTUANDO COM TRAJES SANTOS

Quando convocares as tropas,
o teu povo se apresentará voluntariamente.
Trajando vestes santos, desde o romper da alvorada
os teus jovens virão como o orvalho.
(Sl 110:3)
O Sl 29:2 em nossa versão mais tradicional nos instrui: "Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor vestidos de trajes santos".  Sem entrar nas questões teológicas ligadas a estes trajes santos, gostaríamos de comparar com o que Jesus disse: "Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus" (Mt 5:16).  Assim observamos que em ambos os textos o que pode nos chamar a atenção é o fato de que o tributo de adoração ao Senhor tem que ser revestido de caráter de santidade que aponte para a glória de Deus.  Ou seja: Todo o nosso comportamento – inclusive a roupa que colocamos para vir adorar – deve fazer de nós verdadeiros adoradores e levar as pessoas que conosco estão a se voltarem ao próprio Cristo em glorificação.
Mas devemos também partir para uma visão mais abrangente das colocações feitas pelo Mestre.  O que eu faço – as obras – durante as celebrações devem visar exclusivamente a glória de Deus, assim todo o estrelismo tem que ser descartado; toda carnalidade extirpada; todo mundanismo abolido.  Vale acrescentar que a tecnologia pode ser um aliado interessante na adoração, contudo: nem pode tomar o lugar do adorador, nem pode ser um fim em si mesma, nem deve servir para distrair a atenção de quem busca a Deus.
Em trajes e atitudes santos compareçamos diante de Deus para adorá-lo.

(do livro "No Baú da Adoração" publicado em 2004)

Nenhum comentário:

Postar um comentário