sexta-feira, 20 de novembro de 2020

CUMPRINDO OS RITUAIS

 


Jesus Cristo é o eterno Filho de Deus, e ele veio até nós.  Esta é a história que Lucas está nos contando em seu Evangelho.  Mas ao se fazer humano e entrar na história, Jesus também se submeteu a todas as leis e ditames a que cada ser humano deveria estar igualmente submetido. 

Para que sua missão fosse completa seria preciso tal nível de submissão e engajamento.  Então Lucas nos conta que já desde a atitude de seus pais, Jesus cumpriu todos os rituais e estabelecimentos legais a que qualquer homem judeu estava obrigado.

Veja a lista só no capítulo dois:   

a) Circuncisão (v. 21) – o próprio Deus já havia estabelecido ao patriarca Abraão que todo garoto de oito dias de nascido deveria ser circuncidado como sinal da aliança (veja em Gn 17:12 – leia também Lv 12:3).  E Jesus assim o foi.

b) Apresentação oficial (v. 22) – por lei divina, todo primogênito pertencia a Deus, porém deveria ser resgatado com a oferta devida (confira em Nm 17:15-16).  E assim o fizeram José e Maria.

c) Oferecimento de sacrifício (v. 24) – o preço do resgate deveria ser pago: um par de rolas ou dois pombinhos como prescrevia a lei (no caso dos que possuíam poucos recursos como dito em Lv 14:21-23).  Esta foi oferta trazida.

d) A festa da Páscoa (v. 41-42) – anualmente toda família judia subia ao templo para celebrar a festa da Páscoa (conforme tradição já citada em 2Cr 30:21).  Os pais de Jesus mantiveram esta tradição.

E no verso 39, Lucas não deixa dúvida ao contar que cumpridas todas as ordenanças segundo a Lei do Senhor a história continuou.

(Da Revista “Lucas” – Editora Sabre)

 

terça-feira, 17 de novembro de 2020

OS 24 ANCIÃOS DO APOCALIPSE

 

  

O texto a que se refere é Apocalipse capítulo 4.  Vamos falar um pouco:

A linguagem de João é figurada em todo o texto e por coerência sempre uso essa chave para olhar o texto.

Depois da visão inaugural (cap. 1), das cartas (cap. 2 e 3), João é levado a ter uma visão a partir do ponto de vista do céu.  E desse ponto de vista ele vê a totalidade dos que participam da adoração eterna.

Em linguagem figurada: todos (12) os da antiga aliança no Sinai + todos (12) os da nova aliança no Calvário = totalizando 24 anciãos vestidos de branco diante do trono do Cordeiro.

Sobre as tribos e os apóstolos: se considerar a linguagem figurada, eles podem sim representar simbolicamente o total dos eleitos de ambas as alianças.

Se João se viu representado naquele grupo.  Acredito que sim – como também se viu na grande multidão do capítulo 7.

 

Leia mais sobre Apocalipse:

 

O Livro de Apocalipse (link)

As Cartas do Apocalipse (link)

Adoração em Apocalipse (1ª parte - link2ª parte - link / Conclusão - link)

Louvores do Apocalipse (link)

Situando o Apocalipse – O final do 1º século cristão (link)

Justiça e Vingança em Apocalipse (link)

As 12 Pedras da Nova Jerusalém (link

Para esse tempo (link)