terça-feira, 12 de agosto de 2014

Parábola das coisas – OS ÓCULOS

Recentemente precisei trocar os óculos que uso.  Senti a necessidade.  As primaveras vão se sucedendo e as imagens vão ficando mais turvas, então o auxílio do vidro diante dos olhos parece cada dia mais obrigatório (estes agora já ultrapassam os três graus de lente!).  Mas de tanto usar já me acostumei com eles – faz parte do ritual e da indumentária diária.
Então aproveitei os novos óculos, que forçosamente mudaram meu visual, para deixar um pouco a imaginação caminhar sobre o que eles poderiam me dizer como parábola de coisas.
Numa primeira vista – com o perdão do trocadilho! – os óculos bem poderiam simbolizar os anteparos que a cultura, a sociedade ou a religião colocam diante dos olhos e condicionam o nosso modo de ver as coisas.  Também penso que não seria de todo forçar uma interpretação fazer uma ligação entre a maneira como vemos as coisas e o que elas realmente são, sendo os óculos uma espécie de parábola da Alegoria da Caverna de Platão.
Bem, vou parar por aqui com estes papos teórico-filosófico antes que fiquem chatos: trocadilho, anteparos, condicionamento, alegoria... deixa pra lá...
Óculos hoje para alguns, como eu, são itens obrigatórios e que, de modo discretos ou extravagantes, permitem interagir com o mundo e viver.  Mas há os outros, e até já tenho pensado que são maioria, há os óculos que fazem parte do cenário, do charm, do make, do visual.  De instrumento necessário para a visão ou apenas anteparo para o sol, eles se transformaram em moda e em estética.  Usa-se óculos porque 'causa' na aparência.
Eh, creio que não vou resistir e voltar aos anteparos da cultura e da religião.  Vamos lá!  Como instrumento impregnado de nossa vida, os óculos bem podem me servir como parábola do uso que faço de minha cultura e de minha religião na vida diária.  Alguns as têm como utensílios necessários e valiosos que dão real qualidade às suas vidas.  Outros as usam apenas como ostentação ou modismo. 
E se para estes últimos infelizmente a realidade é que as modas passam e os vazios ficam; para os primeiros, os óculos-cultura ou óculos-religião serão sempre proveitosos – e Jesus, mesmo em outro contexto, já havia falado sobre isso em Mt 6:22 – os olhos são a candeia do corpo.  Se os seus olhos forem bons, todo o seu corpo será cheio de luz.
E seus óculos, como estão?

2 comentários:

  1. Olá.
    Uso óculos desde meus 14 anos, já não vivo sem eles, já faz parte de mim, tanto que tenho que tomar cuidado para não dormir com eles no rosto rsrsrrsrs.
    Té mais e volte sempre ao nosso agregador!

    ResponderExcluir