terça-feira, 6 de setembro de 2011

MEU BRASIL BRASILEIRO


Eu nasci lá pelos idos do final da década de '60 do século passado.  O Brasil estava vivendo o endurecimento do regime de exceção com a aprovação de uma nova constituição militar.  Nos anos da infância vivi o boom do milagre brasileiro e do "ame-o ou deixe-o", e só mais tarde me falaram das guerrilhas e resistências.  Depois, já saindo da adolescência, testemunhei a redemocratização e a nova república.  Vieram os cara-pintadas e o país seguiu em frente...
Sobre o Brasil, por muito tempo de me repetiram a ladainha que é o país do futuro, que somos de terceiro mundo, e que corrupção e burocracia imperam nestas plagas.  Sempre disseram que o povo é bom, mas as elites...  E, vai ver, eles até estavam certos.
Mas, olhando bem, meu Brasil brasileiro é a terra dos negros gaúchos e dos loiros da Bahia.  Do povo trabalhador do planalto central, da indústria amazonense e da mata carioca.  Do relógio de pulso de Santos Dumont e da fronteira agrícola do mundo.  Dos aviões de última geração e do feijão-com-arroz do bolsa-família.  De Villa-Lobos nas favelas do Recife e de Ary Barroso no Municipal de São Paulo.  Tudo isso é Brasil.  E como é ser daqui!
Neste caldeirão então meu conceito de brasilidade foi forjado.  Não foi um processo de todo natural, teve suas idas e vindas.  Contudo, nem em momentos sombrios, me ocorreu escolher sonhar com outro povo, outra terra, outra nação.  Sou brasileiro!
Assim, aprendi não somente a amar este chão, compreendi também que ser brasileiro é construir com discurso e ação a nação que meu filho vai herdar.  Ser brasileiro é principalmente sempre levantar clamores aos céus por esta terra amada.  E tenho certeza que minhas preces não foram as únicas neste Brasil cristão.  Por isso, acredite pela fé: Deus tem ouvido e respondido as orações do seu povo. 
Mas cuidado: não vou trilhar pela doutrina do destino manifesto.  Este conceito de que Deus nos escolheu para ser cabeça do mundo é excludente, preconceituoso, e o pior, empobrece o amor universal divino.  Mas é verdade que enquanto reconstruímos essa pátria com nossas preces, lutas e esforços, o Senhor Jesus vai nos concedendo ver uma nova nação sendo estabelecida.
Então, para concluir vou reafirmar: tenho sim orgulho do meu Brasil brasileiro, esta terra de biodiversidade singular e de gente fenomenal; país onde está planta minha estimada Aracaju e onde as mazelas vão sendo consertadas.  Tenho orgulho porque nós brasileiros aprendemos a incrível arte de nos reinventar, e prosseguir, apesar do que um dia já fomos, ou nos impuseram, pois fé e determinação nunca nos faltaram. 
Por isso continuo orando e trabalhando pelo Brasil.  E lhe convido: estenda a sua mão, sua vontade e sua prece junto comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário