terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

DOS TESOUROS


Vamos continuar seguindo as lições na sequência apresentada por Mateus.  Depois de apresentar os ensinos de Jesus Cristo sobre a intimidade do discípulo com o Mestre na oração e no jejum, o Senhor passa a abordar o tema do tesouro a ser buscado e preservado pelo discípulo (Mt 6:19-21).
Jesus fala que há tesouros na terra (v. 19) e tesouros nos céus (v. 20) e que eles são completamente diferentes um do outro – embora um dispute a primazia com o outro.   Como entender isto que o próprio Mestre ensina?  Os tesouros da terra são perecíveis, transitórios e podem ser roubados.  Os tesouros dos céus são duradouros e ninguém podem tirá-los do quem os possua.
Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração (v. 21).  Esta é a chave para compreender as reais implicações do que Cristo quis dizer.  (1) O meu tesouro consiste naquilo que é realmente importante e pelo qual estou disposto a gastar a minha vida.  (2) O meu tesouro é o que merece e precisa ser juntado e guardado e pelo qual eu abdico de tudo o mais.  (3) O meu tesouro é o que eu avalio como importante para deixar à posteridade e por isto nele coloco minha esperança – nele está meu coração, o centro de minhas prioridades, emoções e existência.  Por isto é fundamental colocar o coração em tesouros que sejam perenes.
Como discípulos do Mestre Jesus, sou desafiado a colocar o meu coração em tesouros e valores que o próprio Cristo guarda e preserva nos céus para sua glória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário