terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

DO JEJUM


Dando continuidade a interpretação de Jesus sobre a oração como atitude espiritual do discípulo, ele apresenta o tema do jejum: tendo buscado – e encontrado – a Deus através da oração, a disciplina cristã natural e seguinte e se desenvolver é o jejum.  “Quando jejuarem...” (Mt 6:16-18), esta constatação do Mestre vai apontar a algumas implicações sobre esta prática religiosa.
A primeira observação é sobre o fato de não haver uma ordem sobre a prática ou não do jejum: o Mestre não manda jejuar, mas constata que isto deve ser prática usual.  Ou seja, para Jesus o jejum é uma renúncia voluntária daquilo que me é importante e necessário.  Não sendo obrigado, com o jejum eu me predisponho voluntariamente a renunciar direitos e regalias em prol do discipulado.
Jesus também faz uma relação óbvia e direta entre o jejum e a piedade pessoal.  Para o Senhor o jejum é uma atitude individual e tem que ser tratada na mesma intimidade da oração – dentro do quarto – pois é lá que ele produz os seus efeitos: “arrume o cabelo e lave o rosto”, ou seja, não deixe nem por descuido que os outros percebam que você está jejuando.
Ainda é importante destacar que o jejum proposto por Jesus Cristo não tem por objetivo mudar ou mover Deus dos seus propósitos.  No jejum bíblico quem é tocado, influenciado e mudado é o discípulo.  Deus sempre permanece o mesmo, o discípulo fiel é que se fortalece na prática piedosa do jejum cristão.
O Mestre indica e ordena aos seus discípulos que é necessário haver intimidade com Deus, junto com a oração no quarto fechado, e o jejum estimula e produz tal intimidade.  Que eu viva esta bênção que o Senhor me oferece para sua exclusiva glória.

4 comentários:

  1. Maria das Graças Ramalho de Deus.19 de fevereiro de 2013 09:05

    O Jejum é repetidamente mencionado nas Escrituras como uma forma sacrificial de batalha pela oração que produz resultados,que não poderia ser obtidos de outra forma.Jejuar implica uma negação sacrificial da necessidade de alimento no período em que a pessoa concentra toda a sua atenção na busca de Deus.
    Bom dia,Meu Mestre Querido.
    Um Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida, que o Senhor nos conceda a graça de uma vida de santa renúncia cristã simbolizada no jejum.
      Um abraço.

      Excluir
  2. Parabéns, ótimo post espero que edifique a muitos principalmente os que definem o jejum de forma errônea nos dias de hoje.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Raoni, o jejum é bíblico: e isso valeu para o passado como vale para hoje. SE por acaso algumas pessoal não desconsideram o supervalorizam (atitudes forçadas segundo a compreensão sagrada), não quer dizer que o ensinamentos bíblicos se tornaram anacrônicos.
      Também espero que a igreja hoje descubra o valor próprio que o jejum bíblico tem na vida cristã.
      Um abraço

      Excluir