terça-feira, 4 de outubro de 2016

A Palavra de Deus – LOGOS ou RHEMA?

Este é outro debate no qual, de vez em quando, querem me trazer para o meio dele.   Qual seria o termo certo para se referir a verdadeira Palavra de Deus?  Logos (Λόγος) ou Rhema (͑Ρῆμα)?  Na maioria das vezes eu fujo de tais questões por que acredito que elas não acrescentam muito quando feitas assim isoladamente – nem à fé nem ao conhecimento.
Como me insistiram recentemente, resolvi dar um pitaco.  Não sei se vai atender à necessidade ou curiosidade, mas vou listar alguns pontos bíblico-lingüísticos, depois fazer uma pequena análise de versos do Novo Testamento.  Se no fim realmente não for conclusivo, creio que pelo menos apontarei alguns caminhos.

NO GREGO CLÁSSICO – Platão e Aristóteles usaram rhema para se referir a um simples enunciado ou coisa dita, uma fase.  Por sua vez, logos em geral na Filosofia Grega, principalmente Alexandrina, implicava em termo técnico para se referir ao princípio supra-humano que ordena o cosmos a partir do caos.

NO NOVO TESTAMENTO GREGO – As duas palavras são usadas quase que indistintamente.  Veja a estatística e alguns exemplos de citação que encontrei a partir do trabalho de Strong:
Rhema – 70 vezes no NT / 546 vezes na LXX –
* Discurso ou mensagem – Lc 3:2
* Não escrita – Jo 5:47
* Palavra de anjo – Lc 2:19
* Testemunho verbal – At 16:38
* Palavra frívola – Mt 12:36
* Blasfêmia – At 6:11
* Palavra de demônio – Jo 10:21
Logos – 331 vezes no NT / 1239 vezes na LXX –
* Expressão ou termo – At 18:15
* Desprezível – 2Co 10:10
* Vã ou torpe – Ef 4:29 / Ef 5:6
* Maliciosa – 3Jo 10
* Fiel – 1Tm 1:15
* Eterna – Mc 13:31
* Profética – At 15:15
* Viva e eficaz – Hb 4:12

NO LÉXICO – Outra linha de observação, é dar uma olhada no Léxico do NT Grego (aqui citando o trabalho de Gingrich & Danker):
Ρῆμα, ατος, τό – 1. aquilo que é dito, palavra, dito, expressão, ameaça – 2. coisa, objeto assunto, evento
Λόγος, ου, ὁ – 1. palavra, assunto, declaração 2. a Palavra (Verbo) de Deus3. reconhecimento

TRADUZINDO O ANTIGO TESTAMENTO – Ambas as expressões, em geral, traduzem o hebraico דבר (dabar) – palavra.  Por exemplo: em Pv 25:11 e Ex 20:1 a LXX usa logos e em 2Rs 10:10 prefere rhema.

LENDO A BÍBLIA
* Mateus usa a expressão rhema no episódio da tentação de Jesus (em Mt 4:4).  A Palavra de Deus é o que alimenta o ser humano.  Por ter saído da boca de Deus, e só por isso, esta palavra tem poder.
* João inicia seu Evangelho usando o termo Logos num sentido bem técnico – beirando entre a Teologia e a Filosofia.  É como uma resposta aos alexandrinos.  Mais que um princípio etéreo, nós seguimos a Palavra que se fez carne e habitou entre nós e vimos a sua glória como a glória do Unigênito do Pai (confira Jo 1:1 e 1:14 – o início de sua primeira carta trilhará a mesma proposta).
* O texto paulino da armadura do cristão (em Ef 6:17) se refere a Espada do Espírito – a poderosa arma que o cristão tem em sua luta contra as potestades e principados das regiões celestes – como a Palavra de Deus.  Aqui a expressão é rhema.
* Também paulina é a instrução dada a Timóteo (em 2Tm 4:2) sobre a prioridade da pregação da Palavra.  Aqui o texto usa logos.  Em qualquer circunstância, a Palavra de Deus deve ser o conteúdo central de nossa fé e de nossa pregação.

À GUISA DE CONCLUSÃO – Insisto que esta discussão não vai acrescentar muita coisa à minha fé na Palavra.  Do mesmo Deus é a Palavra que se fez carne cheio de graça e verdade.  Do mesmo Deus é a Palavra que afugenta o inimigo.  Ambas são de Deus.  Pelo som de sua voz, Deus criou o mundo (leia Hb 11:3).  E por sua palavra venceu a morte (leia Jo 2:22).


Nenhum comentário:

Postar um comentário